Partilhar

Cancro mole - causas, sintomas e tratamento

Por Paula Cassandra. Atualizado: 16 janeiro 2017
Cancro mole - causas, sintomas e tratamento

Embora seja fácil prevenir o cancro mole, assim como as demais doenças sexualmente transmissíveis, bastando para isso o uso de camisinha nas relações sexuais, em todo o mundo é uma doença bem comum, principalmente, em homens. Para obter mais informações sobre essa doença que pode ser confundida com sífilis primária e herpes genital em um primeiro momento, veja o que o umComo.com.br tem a informar sobre: cancro mole - causas, sintomas e tratamento.

Também lhe pode interessar: Causas da disfunção erétil

Causas e sintomas do cancro mole

O cancro mole é causado pela bactéria Haemophilus ducreyi, sendo uma doença mais comum em países tropicais. Também chamada de úlcera mole venérea, cancro venéreo ou cancroide, o seu principal meio de transmissão é o ato sexual sem preservativo. Essa DST – doença sexualmente transmissível pode ser diagnosticada pelas feridas que a caracterizam e que aparecem na região genital de homens e mulheres, bem como no ânus.

As lesões costumam ter formato irregular e borda, sendo que surgem em até cinco dias após a relação sexual sem camisinha. Outros sintomas do cancro mole são cansaço, febre e dor de cabeça, os quais são mais frequentes no início do quadro. Depois, surgem as feridas que são dolorosas e apresentam secreção amarelo-esverdeada. Outro sintoma é o inchaço dos gânglios linfáticos inguinais, que podem doer e mesmo apresentar sangue e pus.

Devido às feridas que aparecem, o ato sexual e a evacuação podem ser doloridas. Nos homens, o local mais comum de aparecerem é no freio da cabeça do pênis e, nas mulheres, surgem nos grandes lábios, embora elas possam nem mesmo apresentar os sintomas da doença. Dessa forma, apenas ao fazerem um exame de rotina o problema é diagnosticado. Além disso, as feridas do cancro mole podem aparecer ainda na garganta, boca e lábios.

Cancro mole - causas, sintomas e tratamento - Causas e sintomas do cancro mole

Tratamento para cancro mole

Assim que os primeiros sinais aparecerem é importante buscar ajuda médica, uma vez que é necessário tratamento medicamentoso para melhorar. O mesmo serve para a parceira ou parceiro sexual do doente. Além disso, como o cancro mole pode ser confundido com a sífilis, outra DST, é preciso o diagnóstico de um especialista. Para mulheres, o ginecologista, para homens, o urologista.

Para o diagnóstico pode ser necessário fazer uma raspagem da ferida para análise em laboratório e/ou um exame de sangue específico para sífilis, a fim de descartar a possibilidade de ser essa doença. Em geral, são os antibióticos os remédios receitados, sendo que eles devem ser prescritos unicamente por um médico. Também é necessário seguir o tratamento ao pé de letra para haver a cura.

Quando não é feito o tratamento o doente continua a transmitir a doença a outras pessoas quando o preservativo não é usado no sexo. Porém, mesmo depois que melhorar é importante que não faça mais sexo desprotegido, pois existem muitas outras DSTs com as quais é possível contaminar-se. Além disso, durante o tratamento é melhor evitar as relações sexuais para que os resultados sejam mais eficientes.

Outro tratamento que faz parte do cancro mole é quando entre os sintomas do paciente estão os gânglios linfáticos inflamados, mais conhecidos como ínguas, na região pélvica. Nesse caso, para amenizar a dor que isso costuma acarretar o médico remove a parte líquida da íngua com uma injeção.

Cancro mole - causas, sintomas e tratamento - Tratamento para cancro mole

Se pretende ler mais artigos parecidos a Cancro mole - causas, sintomas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Relações Sentimentais.

Escrever comentário sobre Cancro mole - causas, sintomas e tratamento

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
Divoene
quero saber os meios de transmissão de cancro mole

Cancro mole - causas, sintomas e tratamento
1 de 3
Cancro mole - causas, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página