Partilhar

Como saber se tenho o síndrome do Príncipe Encantado

Por Sara Viega. Atualizado: 16 janeiro 2017
Como saber se tenho o síndrome do Príncipe Encantado

O síndrome do Príncipe Encantado afeta mulheres geralmente de mais de 30 anos, e costuma apresentar-se em 6 de cada 10 mulheres. Tem a ver com a crença ou ilusão de que existe um homem ideal e perfeito que as tornará completamente felizes. No entanto, quando estão perante homens de carne e osso, com seus defeitos e virtudes, sentem-se frustradas e decepcionadas. A seguir, apresentaremos para você certas características do síndrome do Príncipe Encantado.

Também lhe pode interessar: Como atrair o homem de seus sonhos
Passos a seguir:
1

Relações curtas. As relações não costumam durar muito tempo, já que rapidamente encontram defeitos no seu parceiro. Por mais superficiais e pequenos que sejam os defeitos, geram um sentimento de decepção que as levam a terminar a relação.

2

Exigências. Durante o período que dura a relação amorosa, são muito exigentes em relação a questões banais. Não admitem que seu parceiro esqueça nenhum detalhe, por menor que seja.

3

Ressentimento para com os homens. Consideram que todos os homens são iguais e costumam cultivar e reforçar um forte ressentimento em relação a eles.

4

Modelo paternal. Costumam procurar um homem que tenha as mesmas características que o pai. Há uma forte identificação com o modelo parental considerado o homem ideal.

5

Homens inatingíveis. Tendem a procurar relações com homens que estão casados ou que moram longe, considerando-os ideais para elas.

6

Sentimento de solidão. As mulheres que têm o síndrome do Príncipe Encantado costumam sentir-se muito sozinhas e têm medo de conhecer novos homens pelo medo de que não cumpram com suas expectativas.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como saber se tenho o síndrome do Príncipe Encantado, recomendamos que entre na nossa categoria de Relações Sentimentais.

Escrever comentário sobre Como saber se tenho o síndrome do Príncipe Encantado

O que lhe pareceu o artigo?

Como saber se tenho o síndrome do Príncipe Encantado
Como saber se tenho o síndrome do Príncipe Encantado

Voltar ao topo da página